12 maio 2018

Agente da SEMTRAN de Porto Velho condenado por homicídio e várias passagens pela Justiça Criminal desde 1997 continua atuando nas ruas da Capital



Em setembro de 2017, o juiz Edvino Preczevski, da 2ª Vara Criminal de Porto Velho, deixou claro que o agente da Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran) Elcione José Sales é uma espécie de bomba relógio prestes a explodir em violência. Ontem, por exemplo, foi acusado de agredir com uma cabeçada o advogado Breno Mendes. Pouco antes disso, de usar o cargo público para reprimir cidadãos da Capital.

Mas no ano passado Preczevski o condenou a um ano, três meses e três dias de detenção por injuriar um policial militar.  

À época, o magistrado anotou que, embora Elcione Sales fosse tecnicamente primário, já conservava maus antecedentes “posto que já fora condenado, irrecorrivelmente, por crime de homicídio tentado. Ele recorreu da decisão, ainda em trâmite no Tribunal de Justiça (TJ/RO).

O site News Rondônia chegou a publicar vídeo da discussão. Como Sales saiu em disparada para contar sua versão, espalhou notícias falsas informando, inclusive, que o militar, casado, seria amante da diretora da creche, o que foi negado. Sem contar outras ofensas e mentiras espalhadas pelo agente da Semtran. 




Sales se postou como vítima neste vídeo que percorreu as redes sociais, mas foi desmentido pela Justiça


Além disso, o funcionário da Prefeitura de Porto Velho registra, ainda de acordo com o apontamento do juiz, diversas passagens pela Justiça Criminal, desde 1997, por delitos diversos. São elencados: lesões corporais (três vezes), homicídio (duas vezes), porte/posse ilegal de arma/munição, ameaça (três vezes), desacato e perturbação da tranquilidade, “estando, inclusive, denunciado no 1º Juizado Especial Criminal, desta Comarca, por crime de ameaça, o que denuncia personalidade desajustada e demonstra má conduta social”.

Neste caso julgado por Preczevski, Sales comprovou sua virulência explosiva ao ofender um policial militar e voltar seu destempero também à diretora da creche onde sua filha estudava. São palavras obscenas e, pior, de acordo com testemunhas o agente chegou a ameaçar colocar fogo na escola em questão. A pergunta é: até que ponto a Justiça está disposta a tolerar seus crimes?


A culpabilidade, (lato senso) entendida, agora, como o juízo de reprovabilidade social dos fatos e do seu autor, está evidenciada. Elcione, embora seja tecnicamente primário, tem maus antecedentes, posto que já fora condenado, irrecorrivelmente, por crime de homicídio tentado (v. certidão acostada aos autos e confirmação no SAP/TJRO). A par disso, tem diversas passagens pela Justiça Criminal, desde 1997, por delitos diversos [lesões corporais (três vezes), homicídio (duas vezes), porte/posse ilegal de arma/munição, ameaça (três vezes), desacato e perturbação da tranquilidade], estando, inclusive, denunciado no 1º Juizado Especial Criminal, desta Comarca, por crime de ameaça, o que denuncia personalidade desajustada e demonstra má conduta social.


Os 10 mais acessados